post

Para gerenciar o fator humano, principalmente após o advento tecnológico, o departamento pessoal é muito importante para as empresas

O cenário atual do universo empresarial é visto com massiva inclusão tecnológica. Com isso, muitas pessoas, profissionais de diversos segmentos, sentem-se ameaçados por uma ocupação da tecnologia em suas funções de trabalho, dando, assim importância ao departamento pessoal às empresas.

Para alguns profissionais, a tecnologia veio para ocupar o lugar do fator humano. O que sustenta esse argumento é o evidente crescimento de empresas de tecnologia que estão abrindo e o número de serviços dentro de empresas que tão utilizando-se do fator tecnológico.

Justamente nesse momento entra o fator departamento pessoal, para conseguir extrair o melhor da tecnologia e do fator humano, para que ambos se completem e a empresa seja beneficiada com isso.

Analise interna

O departamento pessoal inicia o seu trabalho prezando pelo autoconhecimento e pela autocrítica em diversas esferas. A empresa precisa ter uma identidade, e essa analisada de forma interna, assim com os departamentos e os funcionários, sabendo as suas funções, para onde ir, o seu valor etc.

É a partir dessa análise interna que gera-se valor ao funcionário e como ele atuará em conjunto com os fatores tecnológicos da empresa em que ele trabalha.

Outro fator que agrega o autoconhecimento é traçar os pontos fortes da empresa, funcionário e departamentos.

Ou seja, é através do departamento pessoal que junta-se o fator humano em conjunto com o tecnológico.

E onde as máquinas entram?

Segundo o relatório sobre o futuro dos empregos, The Future Jobs, a tendência é que até 2025, alguns cargos sejam integralmente substituídos pela inteligência artificial, ou seja, máquinas. Atualmente, 29% dos honorários já são substituídos pelas máquinas em todo o planeta. Vivemos a era pós-digital, onde a tecnologia não é mais novidade, mas, sim, faz parte do cotidiano, já diria Walter Longo.

Mas parece contraditório falarmos isso quando dissemos que as máquinas vêm para nos auxiliar e não tomar nosso lugar. Mas é justamente aí que entra o departamento pessoal, que ao estimular o autoconhecimento e a organização entre pessoas e máquina organiza as funcionalidades do pessoal em conjunto com os fatores tecnológicos.

É exatamente aí que entra o departamento pessoal, para extrair o melhor de cada funcionário e departamento, para adaptar funções e colocá-las lado ao lado com as tendências da tecnologia.

O que tiramos é…

Que o departamento pessoal é um braço da empresa na sua relação com os seus funcionários, extraindo o melhor da equipe e adequando as funcionalidades para um melhor rendimento de produtividade dos funcionários para com a empresa, podendo, também, extrair o melhor possível de fatores como, por exemplo, a tecnologia, que chega para ser braço agregador da empresa.