post

Saiba como a contabilidade gerencial pode auxiliar nas três fases deste processo

A grande dúvida que paira em empresários de todos os portes e tempo de atuação possível é se há uma fórmula de sucesso em uma negociação. Fórmula como de Baskara, como uma ciência exata, obviamente não há, mas como em toda relação humana há um processo de planejamento e execução que tende a aumentar as chances de sucesso no processo de negócios. Um grande braço desses processos é a contabilidade gerencial, já que os dados que ela pode fornecer podem auxiliar em fatores preponderantes no “balcão”.

A grande intenção de uma negociação bem-sucedida é que ambas as partes lucrem, e esse lucro por mais que vá além das vantagens financeiras, já que toda empresa tem seus valores ideais que regem o produto ou serviço fornecido, depende da questão financeira para a saúde da empresa.

Sendo assim, os processos para uma negociação comercial bem-sucedida passa por três momentos que você acompanha a seguir:

Planejamento: A primeira etapa do processo e que sustenta todas as outras. No planejamento da negociação se detém um esforço mental de levantamento de dados e estudo que é muito importante. A figura dos serviços contábeis que detém o conteúdo de dados sobre informações relevantes para o sucesso desse processo de negociação é fundamental neste momento.

A antevisão de objeções e a construção de argumentações sólidas que quebre tais objeções que tendem a vir do outro lado na negociação é um fator que gera sucesso para o processo. Muitas das vezes a quebra dessas objeções estão na análise dos números disponibilizados pela contabilidade gerencial.

De acordo com todos os dados levantados, a ideia é que a empresa procure utilizá-los a seu favor sempre ampliando a visão sobre os seus pontos positivos em detrimento dos negativos.

Execução: A execução é um processo com uma série de outros processos dentre si. Quando pensamos em executar essa negociação, temos que colocar em prática todo o planejamento levantado em conjunto com os serviços contábeis, mas não apenas isso, a importância em toda ambientação e condução da conversa agrega ao negócio.

Um local aconchegante e de aparência profissional, com o mínimo possível de intervenções ou interrupções, é a primeira impressão positiva numa reunião de negócios. Após isso, você precisará achar um bom quebra-gelo para iniciar o bate-papo, ou seja, por mais que você precise ser objetivo na condução da reunião, começar falando e negócios logo de cara pode parecer grosseiro e assustador. Por outro lado, enrolar passeando por outros assuntos pode ser enfadonho e cansativo. Por isso, achar o meio termo é tarefa complicada, mas fundamental na negociação.

Agora, quando se o papo vai para os “finalmentes” a objetividade é o caminho mais coerente na apresentação do projeto. A reunião precisa ter início, meio e final e em todos esses processos precisam ser bem explanado o que é tratado. É nesse momento que você pode mudar a estratégia, utilizando cartas na manga, por meio da postura prática de quem você negocia.

Controle: Todo esse processo de negociação não fica só na mesa de negócios, mas se expande no cumprimento total do que foi acordado, para isso um processo de fiscalização mútuo, para que a empresa faça periodicamente uma auditoria interna e saber se a sua atuação condiz com o acordado para que assim venha a cobrar a outra parte do negócio.

Dependendo da complexidade das negociações, cada processo pode ter um tempo diferente entre si e alguns desdobramentos específicos.